Como enfrentar o fim do namoro durante a gravidez

Por 23 de novembro de 2014Relacionamentos

Evitar emoções muito fortes é fundamental para a saúde da gestante e também do bebê

Como enfrentar o fim do namoro durante a gravidez

Evitar emoções muito fortes é fundamental para a saúde da gestante e também do bebê

Um término de relacionamento é sempre doloroso, não importa quando ele aconteça. Na maioria das vezes, mesmo quando já temos consciência de que a relação não vai bem e deve terminar, é muito difícil encarar a separação. Imagine, então, o quanto essa dor é multiplicada quando a mulher, além do fim do relacionamento, está enfrentando também uma gravidez.

Embora pareça óbvio que o foco da mãe durante a gestação deve ser o bem-estar do bebê, é difícil controlar as emoções e o sofrimento que uma separação pode causar. Força de vontade e uma boa dose de altruísmo são indispensáveis para que seu filho não seja afetado pelos diversos sentimentos que acabarão aparecendo.

O bebê é prioridade

Se o relacionamento já não vinha bem e as duas partes não se esforçarem para a manutenção dele, a consequência natural é o término. O problema é que, com um filho em jogo, a mulher não pode se permitir grandes variações de sentimentos. Em uma situação como essa, o ideal é que o casal converse e faça todo o possível para se manter unido, apesar das diferenças. Os dois precisam entender que os problemas que possam estar enfrentando ou mesmo o desgaste da relação devem ficar em segundo plano, uma vez que a prioridade é o bebê.

Se o término for inevitável, cabe à mãe fazer com que seu filho sinta o menos possível a interferência da dor emocional sentida por ela. Pode parecer complicado mas, na realidade, a mulher precisa, nesse momento, deixar seu sofrimento para depois. Como é cientificamente comprovado, o feto é capaz, desde a mais tenra fase da gestação, de “sentir” junto com a mãe. Se ela fica nervosa, feliz, triste ou preocupada, a criança percebe, inevitavelmente.

Naturalmente é difícil se manter apática diante das decepções e frustrações que se apresentam no momento, mas é necessário. A mãe deve, em outras palavras, guardar o sofrimento para depois. Enquanto estiver grávida, deve evitar se deixar deprimir, deixando para digerir os fatos quando não houver outra vida sendo tão diretamente afetada pelas suas emoções.

É possível recomeçar?

Toda mulher sabe que, por mais doloroso que seja o término, sempre é possível encontrar um novo amor. No entanto, este não é o momento de começar a procurar. Com a data do nascimento se aproximando, você deve direcionar sua atenção aos preparativos para a chegada do bebê. Passar algum tempo sozinha, refletindo sobre os últimos acontecimento e desvinculando-se, emocionalmente, do antigo companheiro, pode ser a forma mais indicada para enfrentar o fim.

Sua vida afetiva não precisa acabar apenas porque você teve um filho, mas iniciar um novo relacionamento durante a gravidez pode deixar a situação ainda mais confusa. Isso é prejudicial para o bebê e deve ser evitado. Lembre-se que você terá todo o tempo do mundo para conhecer pessoas novas depois que ele nascer e deixe essa nova fase para então.

Quando seu filho nascer forte e saudável, todo esse esforço terá valido a pena, e você estará com as energias revigoradas e preparadas para cuidar dele com todo o amor que ele merece. Tente pensar nesse momento quando os dias parecerem difíceis demais e conserve-se para a melhor parte da sua vida.

Fonte: http://www.dicasdemulher.com.br/como-enfrentar-o-fim-do-namoro-durante-a-gravidez/

onosam

Sobre onosam